Presidente Governador Senador Deputado Federal Deputado Estadual

O eleitor pode se recusar a votar?


Sim, o eleitor pode se recusar a votar. Mas é importante saber que essa decisão traz consequências, que podem ser diferentes dependendo do momento em que acontecer a recusa.

Antes de ir ao local da votação

Neste caso é importante saber a diferença entre "se recusar votar" e "não poder votar".

Se por alguma razão o eleitor não puder votar no dia da eleição ele pode justificar a sua ausência. Se estiver em viagem, por exemplo, é possível justificar em um seção eleitoral na cidade em que estiver.

Caso não possa justificar a ausência no dia é possível apresentar a justificativa até 60 dias depois da eleição.

Se o eleitor não apresentar a justificativa de ausência no prazo será preciso pagar uma multa para ficar com a situação eleitoral regular.

Depois de se identificar e antes de votar

Se o eleitor se recusar a votar depois de ter passado pela identificação da mesa receptora o presidente da mesa deve suspender a liberação da urna. Em seguida o presidente registra a ocorrência na ata da eleição e guarda o comprovante de votação do eleitor.

Caso o eleitor mude dei ideia e resolva votar, basta retornar à sessão eleitoral até o horário de encerramento (às 17 horas).

Depois de votar para um dos cargos

Se votar para o primeiro cargo e se recusar a votar nos outros candidatos o presidente da mesa deve avisar o eleitor da situação e pedir que volte até a cabine eleitoral para concluir a votação.

Se o eleitor se recusar a terminar a votação, o presidente da mesa receptora deve liberar a urna através do seu código para que os próximos eleitores possam vota. Depois deve entregar o comprovante de votação ao eleitor.

Nesse caso o primeiro voto dado será válido e os votos não dados serão nulos.

Saiba como funciona a mesa receptora.

Veja também